Textos da Tânia | Despedida

 Esta será, provavelmente, a última vez que escrevo sobre, e para, ti.
 Não sei se tens noção do quanto me magoaste com as tuas palavras ou pela forma como me as disseste.
 Eu até posso ter errado muito contigo e podes ter mil coisas para me atirar à cara, mas antes de as me dizeres, pensa se tens telhados de vidros e se não os tiveres então atira a primeira pedra…Nunca pensei que me dissesses as coisas que me disseste, não depois de tantos anos!
 Pensei que te conhecia mas a verdade é que eu conhecia a pessoa que um dia foste, não a pessoa que és hoje. A pessoa que és hoje dá-me pena, és uma pessoa triste.
 Hoje percebo que mantive sentimentos por uma pessoa que morreu faz um bom tempo, eu apenas não queria encarar esse facto e preferi manter uma amizade.
   Mas sem sucesso, acabei por me perder a mim, perdi-me no sentido que me mantive ao lado de uma pessoa que não merece a minha amizade e lealdade ou qualquer outro sentimento da minha parte.
   Hoje ainda não consigo encarar que deixaste de fazer parte da minha vida, mas acredita que no dia que eu conseguir encarar esse facto irei ser a pessoa mais feliz que alguma vês viste. Enquanto isso, vou viver num pesadelo mas a melhor parte de um pesadelo é acordar.
Não vou ficar pelos cantos a deprimir ou a chorar porque acabou, não mereces tal coisa, tal como não mereceste nem um terço do que fiz por ti…
Não sei o que o futuro me reserva, mas quero que saibas que se por alguma razão nos voltarmos a cruzar fica a saber que eu própria farei de tudo para me afastar, até porque de boas pessoas está o inferno cheio.

(texto com 3 meses) 

Comentários